Notícias
Mercado de cerveja Premium em alta
Com receita européia de 1912, Therezópolis Gold chega ao mercado

 

Em processo de expansão, o mercado de cervejas Premium brasileiro vai ganhar mais uma concorrente no dia 18 de julho: a Therezópolis Gold, feita com receita dinamarquesa de 1912. A expectativa da Cervejaria Teresópolis, fabricante da bebida, é de que sejam produzidos cerca de 60 mil litros por mês (ou 100 mil garrafas de 600 ml). Cerca de 300 pontos de venda deverão oferecer a nova cerveja.

Um dos diferenciais, de acordo com o gerente de marketing da Cervejaria Teresópolis, Marco Antônio Frederico, é que são utilizados no processo de fabricação três tipos de lúpulo (as demais cervejas Premium não levam mais que dez dias em processo de maturação e utilizam apenas um tipo de lúpulo, considerado o “tempero” da bebida) e água mineral da Serra do Capim, de Teresópolis. “A cerveja fica 15 dias maturando nos tanques, o que incrementa o aroma e o sabor. A maturação prolongada também faz com que a bebida fique mais encorpada e menos amarga”, revela Frederico. De acordo com o Sindicato das Cervejarias (SINDICERV), dos 9 bilhões de litros de cerveja vendidos no Brasil durante o ano passado, 500 milhões de litros foram de versões Premium. Consultores garantem que o nicho tem grande potencial de crescimento. O consumo per capita, no nosso país, é, em média, de 50 litros ao ano.

A nova cerveja Premium custará R$ 4 para o consumidor final. A política de preços da fabricante segue a tendência do mercado, conforme explica Marco Antônio. Para elaborar a receita, os mestres cervejeiros da Cervejaria Teresópolis se basearam em levantamento de arqueologia industrial. “O estudo que resgatou a receita foi efetuado por Alfredo Claussen Neto, arqueólogo, professor da Universidade Estácio de Sá e neto do falecido mestre Claussen”, explica o gerente de marketing, lembrando que a cervejaria, inaugurada há cinco anos, investiu em equipamentos importados de última geração.