Notícias

Fim do pedágio – Cidade comemora retirada e faz festa em Três Córregos

Teresópolis, 2 de setembro de 2009


Fim do pedágio – Cidade comemora retirada e faz festa em Três Córregos.

Uma noite para entrar para a história de Teresópolis. Uma cidade inteira contra um pedágio absurdo instalado há mais de dez anos chegou ao fim. Na noite amena desta terça às 0h, conforme prometido pelo Prefeito Jorge Mario em audiência pública em maio, a cobrança foi suspensa, e o povo foi para as ruas comemorar, teve carreata, enterro do pedágio com direito a um caixão do pedágio e tudo.

A cobrança no posto de pedágio, no km 71 da BR-116/RJ (estrada Rio-Teresópolis-Além Paraíba), na localidade de Três Córregos, foi definitivamente cancelada, graças a interlocução do Prefeito Jorge Mario junto à bancada de Deputados Federais do PT, Jorge Bittar e Luiz Sérgio com a diretoria da ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres.

“Esta vitória representa a ressurreição econômica do 2º Distrito, corrigindo uma injustiça histórica com a população de Teresópolis. Nossa articulação política com a bancada de Deputados Federais do PT conseguiu sensibilizar o Diretor Geral da ANTT, Bernardo Figueiredo, que atendeu nossa solicitação de retirar, definitivamente, a praça de pedágio de nossa cidade, sem que isso acarrete em aumento de tarifas”, comemora o Prefeito.

Em uma carta aberta à população e municípios vizinhos, o “Movimento Popular Pedágio Não” ressalta que o Prefeito Jorge Mario e o Deputado Federal Jorge Bittar tiveram participação fundamental no processo. “Em reunião realizada em maio deste ano, a atual gestão conseguiu, de forma brilhante, aprovar a proposta de saída definitiva do posto de pedágio da cidade de Teresópolis, inclusive inviabilizando propostas anteriores que definiam o km 45 como uma nova praça de pedágio” diz o documento.

Relembrando

A retirada da praça de pedágio do km 71 da BR 116 faz parte das propostas de governo do Prefeito Jorge Mario que, em outubro do ano passado, se reuniu com a diretoria da ANTT. Na ocasião, o encontro contou com a mediação do Deputado federal Jorge Bittar, também atuante ativo na retirada do pedágio do local. Queremos solucionar definitivamente esse problema que tanto aflige os moradores do 2º Distrito de Teresópolis e que prejudica o desenvolvimento econômico da região. Esse pedágio não pode continuar dividindo nossa cidade”, afirmou o Prefeito na época.

Desde março de 1996 a Estrada Rio-Teresópolis-Além Paraíba (BR-116/RJ) é administrada pela CRT, e desde abril de 1999 a praça de pedágio construída pela concessionária no km 71 da rodovia, na localidade de Três Córregos, isola os cerca de 20 mil moradores do 2º Distrito da sede do município. Para fugir do pagamento da tarifa de R$ 15,40 (ida e volta de um carro de passeio), os moradores utilizam a Rua Caxambu como via alternativa ao pedágio que, segundo eles, desvaloriza os imóveis, aumenta as despesas dos agricultores com o escoamento da produção e prejudica o movimento do comércio da região.

Em março deste ano, a ANTT realizou a Consulta Pública nº 001/2009, no Teatro Municipal de Teresópolis, sobre a proposta de remoção do pedágio e estabeleceu um prazo de 30 dias para a definição da nova localização da praça PN2. Em maio, no entanto, o Diretor da ANTT, Bernardo Figueiredo veio à Teresópolis oficializar a decisão de retirar, definitivamente do município, a praça de pedágio instalada pela CRT, conforme havia antecipado, na época, o Prefeito Jorge Mario.

Sobre o Movimento Popular Pedágio Não

Fundado em 20 de abril de 1999 pela população do 2º Distrito de Teresópolis, o “Movimento Popular Pedágio Não” surgiu para resistir à implantação da praça de pedágio na localidade de Três Córregos. Seus integrantes se mobilizaram e abriram uma via alternativa para que a população do município ficasse livre do pagamento da tarifa. Entre os fundadores do movimento estão Ary Moraes, Carlos Alberto Gonzaga, Joel Caldeira, José Renato Gama dos Santos, Leomir Ramos, Otávio Pires Martins, Ronaldo Lima Sampaio, Ricardo Carregosa, Silvio Mello e o ex-Vereador Ubiratan de Souza.

Foto: Luciano Zimbrão.